quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Como ser feliz?

Um diálogo de como tornar-se livre.                                                 Parte I
Isto é possível?
Por que do diálogo?
Como há bastante semelhança nas curas, por exemplo, no campo do espiritismo, certas doenças curam-se quando se recupera o espírito em ilusão, e no campo da psicanálise se curam quando se eliminam os complexos ocultos por meio das reflexões. A reflexão em si constitui um grande diálogo.
Em muitos momentos sofremos porque estamos sempre armados de modo a não permitir que a verdade seja revelada.
Se eu conhecer a causa do meu sofrimento posso me livrar dele. Assim o mantenho oculto. Quanto paradoxo!
Mesmo que a pessoa não tenha um distúrbio físico real, se ela tiver conflitos íntimos e não encontrar meios de extravasá-los, o seu subconsciente provocará diversos problemas no corpo, buscando assim satisfazer seus anseios de forma simbólica.
Você deve vasculhar para encontrar qual é o fato que a mente se recusa a revelar, e só então procurar eliminar essa resistência.
Embora seja muito comum em qualquer método de analise de si mesmo, em vez de a pessoa revelar as resistências e expor seus complexos ocultos, ela tende a levá-lo a dissimular essa resistência. Por conta da vontade de estar doente.
O que é “resistência à exposição dos complexos”?
Sucintamente podemos dizer que os neuróticos têm apego ao seu comportamento.
 Por incrível que pareça o subconsciente trata com carinho a sua neurose, considerando-a essencial a sua existência. Em geral a pessoa cria sua neura como um “muro de defesa” que o impede de degradar-se na vida prática e assim está satisfazendo simbolicamente algum desejo doentio.
Ele sente que não poderá viver sem a sua doença e em outras palavras, seu subconsciente teme ficar sadio e deseja estar doente.
A autoanálise implica em você ter condições de realizar um exame acurado. Muitas pessoas são divagadoras, e vivem em dois mundos. Como uma parte dela vive no mundo da fantasia, não é capaz de efetuar uma introspecção profunda para descobrir que conflitos estão no recôndito de sua mente. Sendo assim preste atenção em tudo e perceba o que lhe causa desconforto. Possivelmente esse desconforto seja indício de um sentimento arraigado nas camadas mais profundas do subconsciente.
Assim não consiste em uma terapia espiritual, e sim em analise da sua mente, em revelar-lhe os conflitos íntimos, e trazer a tona todos os sentimentos angustiantes que havia sido reprimido no subconsciente, e que você possa reconduzir a sua vida ao rumo correto arrependendo-se dos erros cometidos. Desde modo você se liberta de todos os sofrimentos.
Existem momentos que são necessários uma decisão drástica, para acabar de vez com os conflitos íntimos, essa decisão seria a de tornar a sua vida a mais digna possível.
A correta atitude perante a vida devolve a paz mental e a harmonia, desaparecendo as angústias da mente a doença sara. A paz mental cura a alma.
De qualquer modo, a verdade é que existem pessoas que embora se mostrem com uma disposição aparente de estarem curados de seus conflitos e sofrimentos, no fundo tratam-nos com carinho e protegem-nos como se fosse um tesouro particular.
Sua neurose é, por assim dizer uma capa de proteção indispensável em sua vida, e por isso, quando se sente ameaçado de perder esse tesouro particular, ele procura manter-se distante inventando mil e uma desculpas.
Na maioria dos casos utilizam-se da doença como uma arma, mesmo se ferindo, para exercer domínio sobre os outros e sentir-se vitoriosos, como um tirano.
O doente deseja ser estimado e ter a consideração especial por parte das pessoas que os cerca. Não quer ser menosprezado. Por isso não gosta que sua doença seja considerada um caso sem gravidade.
Pessoas que sofrem de doença crônica nervosa, gástrica, cardíaca ,etc., por decorrência de problemas psíquicos, gostam de pensar que sua doença é muito grave, complicada e rara. “Ninguém consegue curar minha doença, ela é mais poderosa que qualquer médico.” – só de pensar assim, tais pessoas sentem-se mais importantes que quaisquer outras pessoas.
Pertence a esse tipo a pessoa que costuma contar, com ar de indisfarçável orgulho, que ninguém conseguiu curá-lo apesar de ele ter consultado muitos médicos e experimentado os mais variados tratamentos. Tal pessoa tem o senso de autovalorização extremamente acentuado.
Ele usa sua doença, tenta impor-se no mundo dominando seus familiares, seu médico etc.
Se ler os livros da Seicho-No-Ie, sua doença agrava, e ele tende a abandonar a leitura sem saber que se persistir acabará despertando para a Verdade, ele irá conscientizar que sua essência é a de filho de Deus, e que é vitorioso por sua própria natureza, não havendo necessidade de usar a “armadura” chamada doença para dominar os outros. E no mesmo instante que despir se dessa armadura sua doença será curada.
As pessoas podem adoecer sempre que sua “mente oculta” (subconsciente) o desejar. E do mesmo modo, podem curar-se sempre que seu subconsciente assim o desejar.
Há pessoas que sofrem de “atenção”. São as que se sentem muito solitárias se não estiverem o tempo todo conversando com alguém, ou mesmo namorando alguém e vivem buscando novos amores tentam buscar compensação nos prazeres carnais momentâneos.
O que precisamos entender?
Essa é a mente da auto-analise. Algo precisa ser desperto.
Por que dos sofrimentos?
Lance um olhar profundo sobre os seus sentimentos, toda infelicidade tem uma causa.
É preciso procurar essa causa nas profundezas de nosso ser e extingui-la, sem o que jamais conquistaremos a felicidade.
De onde vem o sofrimento?
Uma vez que o amor deveria ser um sentimento capaz de despertar o nosso melhor ., nos trazer a  alegria, a  Vida, a lucidez, se isto  não está  ocorrendo  , só podemos  concluir  que  algo  saiu  errado, alguma  coisa  precisamos aprender. Mas o que?
Está  pergunta  é sempre mais difícil !
Será que Deus poderia ser mais claro neste caso? risos ...
O professor Masaharu Taniguchi nos ensina que se o destino de uma pessoa é infeliz, é porque a sua Imagem Verdadeira não está desperta.
 A causa da infelicidade pode estar no imaginário da pessoa ainda não desperta que acredita nas próprias ilusões, como se elas fossem reais. Leia ilusões também como medo... medo é algo muito genérico,mas ele se espalha pela vida, como suas faces nos impedindo de realizarmos.
 Tais ilusões são vividas com a convicção de serem verdadeiras.
Pegue o estar com alguém... como pano de fundo... pegue aquele amor que arrebenta...sei que logo no inicio, você percebeu, que tratava-se de algo diferente, que esse relacionamento não seria apenas um relacionamento,
Agora se pergunte e reflita ?
Foi a primeira vez que isso aconteceu?
 Será que você não estaria repetindo um sentimento que  já viveu com outra pessoa?
Pode não ser dentro do namoro, mas com um pai, com a mãe, alguém da família, com um amigo...
Coisas que nesta vida perdemos que ficaram pra traz coisas que não vivemos... promessas que não foram cumpridas...
Quando repetimos sem notar os mesmos padrões, vamos potencializando as emoções, cada repetição se dará com maior força e crueldade. Provocando um sofrimento cada vez maior...
Veja não se trata de um julgamento... mas de uma reflexão...
 Então ,o que de fato é a vida?
R.: Um curso que você se inscreveu para continuar sua trajetória.
 Sendo assim, compreenda na adversidade há crescimento.
 A Psicologia não explica o carma de um destino nem o que faz a pessoa nascer em uma determinada família e ambiente.
O que você precisa entender é:
Quem está no controle de nossas emoções?
 Se viver com raiva sempre ficará entediado?
 Se viver na solidão, sempre irá encontrar uma pessoa capaz de solidificar esse sentimento em nosso cotidiano.
 Assim vamos encontrar no caminho pessoas que nos farão sentir solidão, rejeição e incapacidade.
Quando isso ocorre...
 Nossos pensamentos reproduzem elementos químicos no nosso corpo, deixamos de responder conscientemente e passamos a ser automáticos. E as emoções são redesenhadas para reforçar quimicamente a memória.
 Passamos por várias experiências...
Por isso funcionamos como se estivéssemos desligados de tudo, mas ainda assim, somos responsáveis por todos os acontecimentos de nossa vida.
 Um viciado sempre vai precisar de um pouco mais para satisfazer a sua necessidade, se não consegue controlar o seu estado emocional é viciado naquilo.
Por exemplo, quem vive, na solidão sempre vai precisar de uma situação para chorar um pouco mais...
A questão é como você vive diariamente?
Tudo o que acontece na vida atual tem como finalidade o amadurecimento da Alma.

continua....
Fotos by Ariovaldo Ribeiro

6 comentários:

  1. Você vai escrever um livro não vai???? A vai!!!! MARAVILHOSO Ari. Beijo no coração. Parabéns!!! Cidalia

    ResponderExcluir
  2. Karine Assunção Leal de Carvalho1 de outubro de 2010 17:54

    Adorei,Texto muito bom de se ler e refletir ...

    ResponderExcluir
  3. Convivi e convivo com pessoas que manifestam estas ilusões; é muito profundo e angustiante
    participar deste convivio reflito muito peço
    sabedoria a Deus para saber lidar com amor...
    muito obrigado...qdo li me identifiquei muito.

    ResponderExcluir
  4. Leonice do Carmo Dorante23 de novembro de 2011 23:31

    Vc Ariovaldo, é melhor que todos os psicólogos que conheci. Parabéns. Sei que sua Sabedoria vem do Alto. Amei!!!

    ResponderExcluir
  5. Parabens Ari. Muito bom....vai dar contunuidade quando?
    Saudades.

    ResponderExcluir

Deixe aqui o seu comentário!